Homem sozinho não entra na praia

Recebi um apelo contundente, de um leitor do blog, que deixou um comentário sobre o regulamento naturista, que proíbe a entrada de homens sozinhos na praia. Ele não concorda.

Antes só do que mal acompanhado
Antes só do que mal acompanhado

É muito chato sim para um homem, ser barrado, ou direcionado para um local onde só frequentam os solteiros, os desgarrados. E não existir a mesma contrapartida para mulheres sozinhas.

A turma do "bolinha"
A turma do "bolinha"

Eu mesma sou uma delas. Comecei a frequentar o naturismo sozinha, sem ter nenhuma companhia. Senti-me acolhida, respeitada e tive até um casal como padrinhos, no clube onde hoje sou sócia.

Naturismo de pai para filho
Naturismo de pai para filho

Mas sei da regra e de muito solteiro, idôneo, que fica constrangido porque se sente julgado por antecedência.

Amigos veteranos do naturismo
Amigos veteranos do naturismo

Mas a regra não quer rotular o homem sozinho de mal intencionado. É que casais e mulheres naturistas são em número menor que os homens sozinhos naturistas.

Premiando os destaques
Premiando os destaques

E neste caso quando a demanda de naturista é muito maior dos homens sozinhos, as mulheres sozinhas e acompanhadas, que hoje são a minoria, não vão se sentir à vontade para ficar no mesmo ambiente.

Isso é o que prega a regra, que naturalmente foi feita e aprovada pela maioria masculina que dirige o naturismo.

Autoridades do naturismo local e nacional
Autoridades do naturismo local e nacional

Não quer dizer que esteja errada. Mas sim, que as mulheres por serem em número menor não palpitam se é válido impedir a entrada de homens sozinhos, ou não, nas áreas naturistas.

Guardiões da filosofia naturista
Guardiões da filosofia naturista

Dito isto e sem querer polemizar, pergunto: o equilíbrio numérico, de homens e mulheres, no naturismo nos colocaria num patamar melhor, na condução da filosofia naturista no mundo?

Buscamos o ideal que é o equilibrio
Buscamos o ideal que é o equilibrio

19 thoughts on “Homem sozinho não entra na praia

  1. Parabéns pela iniciativa de um diário-blog naturista, defendendo um espaço não compreendido por muitos. Estarei em Tambaba com minha companheira em breve. Essa problemática de homem entrar sozinho em praias é bem subjetiva, quiçá ideológica. Quem sabe esse estigma é quebrado daqui a pouco tempo. Seria interessante que os próprios frequentadores indicassem amigos para entrarem sozinhos, afinal é uma família o naturismo ou não?

  2. Glacy obrigado pelo esclarecimento, fico feliz que tenha me citado e respondido minha duvida, se ja tinha admiraçao por voce e esse blog bacana demais, agora ficou maior, entendi seu ponto de vista. Bem, abraços e felicidades pra voce.

  3. Sempre fui interessado pela filosofia naturista. Só recentemente no entanto resolvi me aprofundar no seu conhecimento. Fiquei surpreso ao saber de todo esse tabu a respeito da proibição/segregação dos homens sozinhos. Sempre achei que a filosofia naturista buscava na nudez despir o ser humano de todos preconceitos e tabus. Me entristeceu saber que os próprios naturistas criaram regras tão preconceituosas com os próprios praticantes. Já não sei mais se quero participar.

  4. Parabéns a Glacy por tocar nesse tópico um ponto tão sensível. Penso que essa segre
    gação (quiçá “proibição”, restrição) emperra o crescimento do movimento e da filosofia naturista. O Brasil ainda vai levar uns 200 anos para chegar ao nível de naturismo praticado em outros países, levando em conta tudo que observo no site BN. Sou casado, minha espo
    sa não compartilha da minha filosofia apesar de respeitar a filosifia que adotei e infelizmente ainda não pratiquei o naturismo(pelo menos socialmente, já que pratico o nudismo em casa há muitos anos). Como conhecer Tambaba sozinho, se há restrições? O remédio a curto prazo é pesquisar os poucos locais que se admite homens desacompanhados e tentar conhecer esses locais, eventualmente, pois nem todos os poucos pontos de prática naturista no país admite homens desacompanhados.

  5. Já fui a Praia do Pinho.Infelizmente não pude entrar na área onde entra mulher sozinha e casais.Liberdade uma merda.Essas leis do naturismo não estão pregando porra nenhuma de igualdade queria entrar na área dos casados.Ou só entra casais ou não entra ninguém sozinho nem homem nem mulher.Apesar desse preconceito ridículo ainda apoio e defendo o naturismo.Não tem coisa mais gostosa do que poder andar ao natural.Menos no frio claro.Felizmente ainda tem uma área ou outra onde solteiros podem entrar na área de casados como é o caso de Floripa.

  6. É de uma estupidez tamanha este código jurássico e arbitrário. Se defendem a liberdade expressa na nudez sem pudores, como podem uns “burocratas” criarem um documento cerceando a própria liberdade de ir e vir que pregam defender?
    Sempre quis me aproximar do grupo. Recentemente assinei o site Brasil Naturista, que pelo que sei agora tem como presidente um nudista solteiro, mas lamento esta hipocrisia.
    PROPOSTA: MULHERES E HOMENS SOLTEIROS SEPARADOS DE CASAIS.
    E fora com os bobões maldosos que ainda acham que estamos atrás de suas mulheres. CAIAM NA REAL..

  7. Aqui no Rio,na Praia do Abricó o acesso à Praia é garantido a todos,pois não se pode restringir o direito de ir e vir se a praia não pode ser privatizada, e nunca ouvi falar de problemas,se existirem serão os mesmos que em outras praias. Não entendo que ninguem nunca questionou isto no Ministperio Público. Aqui no Rio a Praia existe como naturista,por decreto da Prefeitura,então todos devem ter livre acesso.

  8. Oi. Sempre gostei de andar pelado em casa. Um dia liguei pra colina e solicitei minha ida sózinho, pois minha esposa nao apreciava a cultura, apesar de convida-la para ir comigo. Fui aceito e fui visitar o local. Lá chegando me apresentei, identifiquei-me e entrei. Ja fui tirando a roupa direto, abri os braços e respirei fundo aquele ar quase de serra gaucha. Era muito Tri o lugar.Passei um dia na tranquilidade da vida, levei um livro para ler, banhei-me na piscina, curti ao maximo, conversei com varias pessoas. Mas o dia foi acabando e com isso fui botando a roupa e fui agradecer o excelente dia a mim propiciado. Para minha surpresa, foi-me colocado, que eu teria sido analisado e controlado pela administração, e que eu poderia retornar à Colina quando quisesse, pois as portas estariam abertas para mim. Voltei mais vezes, e para minha alegria minha esposa me deu o prazer de ir comigo. Passamos um belo dia. Não tive o prazer de conhece-la Glaci, mas tenho certeza que oportunidade não faltara. Um grande abração, e muita paz no coração. Paulo. paulosrcoelho@bol.com.br

  9. Ainda não entendi, como privatizar uma praia no território nacional? Em se tratando de um clube tudo bem,mas uma praia é inconstitucional. Sera que as leis são diferentes ? viva o naturismo carioca, que como todas as praias da cidade a nossa é democratica e aberta a todos

  10. Oi, também queria participar das olimpíadas nudista, mas fui barrado porque estava desacompanhado foi um grande desprazer. Obs;Foi no Rincão em São Paulo, não deixaram nem eu viajar me descartaram por email fiquei triste e toda aquela filosofia foi por água abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>